Lakorn: Roy Marn aka I don't wanna marry you


Annyeong! Um casal gato e rato, casamento forçado, um secundário maravilhoso, já viram essas características antes? O cliclê que dá super certo no mundo dos doramas. O diferencial está nos costumes tailandeses e em alguns detalhes da história. Estrelando Boy Pakorn Chatborirak como Mark e Margie Rasri Balenciaga como Bee. Os lakorns pegaram a "rabeira" do sucesso de Full House Thai e estão conquistando muitos fãs.

Bee é uma garota de personalidade forte que perdeu os pais e por isso mora com a avó e com a família de seu tio, incluindo sua prima May (Bella Vanita). As duas se odeiam e são opostas uma à outra, May é toda perfeita, linda, só namora os caras mais promissores, tem um ótimo trabalho e etc. Já Bee é descuidada, bagunceira, briguenta, tudo o que a maioria das protagonistas dos dramas são. Mark é filho do novo vizinho que tem um passado mal resolvido com a família de Bee. Ele entra na vida dessas meninas e vira a família de cabeça para baixo.


O casal (Mark e Bee) são o típico casal que se odeia o drama inteiro e acabam se apaixonando. A forma como eles começam o relacionamento é engraçadíssima, fazer um escândalo definitivamente não é a melhor forma de começar uma relação, mas funcionou para os nossos protagonistas. Não espere por fofurinhas entre esses dois pois essas cenas são raríssimas, mas quando tem é super romântico. Uma coisa que você pode esperar é muita risada, se tem uma coisa que me fez rir foram esses dois, toda vez que eles apareciam era certeza de muito riso pois era tanta briga e vingança bobinha, uma comédia.

Em contra partida, temos um drama danado. Primeiro um acontecimento que muda a vida de muita gente, principalmente de May. Além disso, temos o misterioso passado dessas duas famílias, quem é Baramee? Por que ele voltou? Qual a relação dele com Pramook (pai de May)? O que aconteceu com sua família? São algumas das muitas perguntas que ficam em nossa cabeça assim que começamos o drama. Ao longo da história os mistérios vão chegando ao fim e descobrimos toda a complicada relação dessas duas famílias.


Sinceramente, o que mais me encantou nesse lakorn é o secundário (desculpe protagonista), Athit (First Ekkaphong Jongkesakorn) ou Sunny, como Bee o apelidou, é fofo, com um trabalho estável, lindo, sabe quando brincar e quando levar as coisas a sério, tudo o que uma garota normal quer, mas estamos falando de Bee. Apesar de ele ser o secundário e não o protagonista, fiquei satisfeita com o fim que montaram para ele. Dica: se preparem psicologicamente para uma cena desse lindo sem camisa. 


Temos alguns vilões nesse drama que sabem irritar, não superam Lee Why-kyung de My love from the star, mas chegam perto. Maldade, carência, ganância, ódio, problemas psicológicos são um pouco das maldades que encontramos nessa história cheia de altos e baixos.

Vemos que esse lakorn tem seus pontos positivos e negativos, mas os positivos superam por isso recomendo. Pode ser um pouco estranho assistí-lo no começo pelas diferenças culturais, mas com o tempo você acostuma e aproveita o dorama. A história é bem complexa, mas com atenção entendemos tudo direitinho. Temos nesse lakorn muita comédia e muito drama com umas pitadas de romance para os amantes desse gênero.

Confiram o teaser, infelizmente sem legenda, do lakorn e me contem o que acharam dele.


Beijos, Vic.


This entry was posted on quarta-feira, 8 de abril de 2015 and is filed under ,,,,,,,,,. You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. You can leave a response.

2 Responses to “Lakorn: Roy Marn aka I don't wanna marry you”